segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Desabafo

Já vivi a dor por medo de viver o amor;
mas também por viver o amor, já vivi a dor. 
Eu já fui sincero, outras vezes eu menti; 
algumas vezes não, outras, eu me arrependi. 

Muitas vezes eu chorei em ombros amigos, 
minhas mágoas, por vezes precisaram de ouvidos.
Já magoei pessoas caras que me amavam,
já fui ferido pelas mãos que me acalentavam. 

Passei noites em claro pelos dias escuros,
e vi estrelas de dia, clareando os céus impuros.
Desejei amar para sempre um Amor perfeito, 
mas o amor perfeito é amar o Amor imperfeito.

Já sorri na tristeza, já chorei na alegria,
vivi representando, pois na vida eu mentia.
Já me olhei no espelho querendo saber quem sou, 
só vi miragens em nuvens que o tempo formou. 

Acreditei em mentiras, e de verdades duvidei.
Fui feliz e não sabia, vivi e não sonhei. 
Já errei convictamente pensando que eu sabia;
disse o que queria, calei quando não devia.

Já chorei num caixão, por levar, quem eu amava.
Já chamei a mãe, quando um bicho à noite assombrava.
chamei de “meu amigo” quem nunca mereceu,
outros são irmãos queridos que a vida me deu.

Já caí muitas vezes pensando que aprendi, 
Mas cada vez foi mais fácil, quando me reergui.
Sempre estou diferente, porque na eternidade, 
todos nós seremos distintos pela igualdade.
Comendador José Luiz da Luz